VUDU

Publicado em 10 de julho de 2014

PS: Blog escrito no Malawi e mantido a versão original de tempo datas e situações, com os erros de escrita e as dificuldades de expressão, na qual eu utilizava um celular para digitar todos os textos e manter minha família e amigos atualizados.

Ontem o dia 15 de fevereiro de 2013 foi dia de organização e uma suposta faxina, estamos nos instalando na casa em Chikwawa e tentando organizar lugares para dormir mosquiteiros lavar roupa de balde e fazer comida. Todas as coisas básicas de uma casa, mas que aqui conseguir o básico não é uma tarefa fácil.

O dia de limpeza não deu muito certo, a água era escassa e não nos demos conta disso logo no primeiro dia.

meus melhores vizinhos

E lá estava eu procurando água foi então que o menino se aproximadamente 6 anos este menino de nome Francisco viu a minha procura por água, e repentinamente aparece menino, carregando um baldo de água da sua casa que dava aproximadamente seu peso, parecia q não iria aguentar ele para em frente a porta da casa olha pra mim e abre um sorriso, não conseguíamos nos comunicar muito bem, mas pra que? A atitude daquele menino, o qual sua família também estava sem água e eles em sua solidariedade compartilharam sua água conosco.

Essa sim foi à maior recepção e mais significante que eu já tive em toda a minha vida.

Jogando bola

Foi algo muito emocionante porque quando você encontra alguma pessoa principalmente uma criança que poderia estar brincando ou distraídas com outras coisas tentar ajudar desta forma, pois na casa dele também não tinha água então ele repartiu de seu pequeno reservatório. Foi ai então que fiz um novo amigo.

Mais tarde ele e seus amiguinhos montaram um campinho na frente de casa com dois tijolos de um lado e duas botas do outro, e claro uma bola de pano. Foi à partida de futebol mais bonita que já assisti ver a solidariedade deles sem competição alguma repartiram o time, tinha dois menores que geralmente não encostavam na bola então os maiores deixaram os menores começar  com a bola para eles também poderem jogar.

Em muitos momentos eu ficava com medo deles chutarem os inúmeros tijolos que estavam no campo, pois aquilo era uma suposta rua onde os carros passam, mas como é difícil de encontrar carro por aqui eles podem aproveitar livremente. Você pode observar na foto.

 

Hoje o dia 16 começou cedo 5 da manha já estava em pé, então 7:30 tínhamos reunião com os coordenadores dos clubes dos agricultores nosso projeto aqui no Malawi. Porem mais uma vez estou aprendendo o horário da África, como aqui a maioria do tempo é controlado pelo sol então cada um vem no horário que acho que o sol diz. E também estamos enfrentando a estação das chuvas, muitas pessoas sofrem dificuldades para chegar ao local.

Apos a reunião fomos para a reunião com a comunidade geral. Fomos de caminhão. Então na frente vai três e atrás quantos quiserem ir. A ida foi tranquilo, o engraçado era que quem passava o caminhão parava para todos subir, começamos em 12 e chegamos la creio eu em  27 pessoas.

3

A reunião foi transferida da comunidade para a Igreja por causa da chuva. E chego la me deparo com um cronograma bem organizado com horário de discurso e tudo. Fico empolgado, então checo o horário de inicio no cronograma dizia 9:30, e olho para o relógio era 9:35, então mais uma oportunidade para aprender o horário da África, no final começamos as 11:15 quando a grande maioria dos chefes das comunidades já estavam presentes.

Um fato interessante, quando quem vai falar e é do mesmo nível da hierarquia bate-se palma normal, mas quando é alguém de um nível superior bate-se palma em forma de concha. Em sinal de respeito, eu errei inúmeras vezes.

A reunião terminou por volta da 1 da tarde, então fomos nos locomover para a comunidade onde eu poderia conhecer o seu ritual um tanto quanto secreto da dança dos espíritos.

8

No caminho conheci uma Menina dos USA esta trabalhando próximo aquela comunidade ela esta aqui há 1 ano e 3 meses seu projeto é de 3 anos, o que me espantou foi saber que sua casa não tem água nem eletricidade e ela vive sozinha um grande desafio principalmente por se tratar de uma Norte Americana.

Para chegar a comunidade tivemos que atravessar um rio, o que me da medo uma por causa dos crocodilos e também do schistosoma.

Mas ao chegar a comunidade fomos recebidos com cana de açúcar para  mascar (que delicia) e a comunidade toda em volta de uma grande arvore onde em baixo montam seu terreiro de dança, os responsável por tocar os tambores já estão prontos e então surge um homem com algo de metal prata como um chocalho e começa a dar as ordens, ao fundo do terreiro senta-se o grandes pensadores da comunidade quando você precisa falar ou implantar algo na comunidade primeiro tem que convencer eles e depois eles passam para a comunidade.

6

Com um sinal o que aparenta ser o comandante, da à ordem para iniciar os tambores. Assim que os tambores iniciam começa os gritos. E então vem o primeiro “espírito” uma pessoa fantasiada bem singular e com uma voz aguda no qual eles dizem que esta enfeitiçada pelo espírito da comunidade onde todos o respeitam. Então começa a dançar, algo muito rápido e ao seu redor os homens caminham e gritam com um som agudo, e batem em sua garganta como algo mexendo em suas cordas vocais, confesso que é algo realmente impressionante.

5

Naquele momento ele tem o total controle sobre a comunidade onde, muitos fazem oferendas com galinhas e outras coisas. Logo apos este espírito vem mais dois, e a dança continua de maneira muito rápida. Realmente impressiona a resistência deles, a musica é algo belo de se escutar.

O grande problema deste tipo de “Bruxaria” que todos chamam de VUDU, é o grande numero de assassinatos envolvendo os Bruxos.

Agora graças a um homem chamado George Thindwa, e com o suporte do governo da Noruega, iniciou um programa de três anos para erradicar a violência contra as bruxas no país. Literalmente acabar com as perseguições as bruxas.

8

Thindwa em 2011 realizou uma pesquisa onde foi descoberto que muitas pessoas, especialmente os idosos, foram submetidos a diversas formas de violência sobre as suspeitas de que eles estavam praticando bruxaria. “Muitas pessoas, especialmente mulheres e idosos que perderam a vida e a propriedade sobre as suspeitas de que eles estão praticando bruxaria.” Muitas vezes não havia evidencias da pratica de bruxaria e mesmo se houver ninguém tem o direito de tirar a vida do próximo.  De acordo com uma pesquisa de 2008, 3/4 dos domicílios do Malawi relataram saber de bruxas em sua comunidade, e quase dois terços disseram que conheciam alguém que tinha sido acusado de praticar bruxaria.

No país 55% dos entrevistados acreditam em feitiçaria. Para muitos africanos a crença em magia negra é considerada parte da vida cotidiana. Na África, curandeiros são consultados não apenas para curar doenças, mas também para colocar maldições (ou remoção) de magia ou trazer sorte, assim como muitos médiuns e cartomantes na América.

São coisas culturais temos que respeitar, e esperar que nos respeitem.

9

 

Logo apos nos preparamos para o almoço, como a reunião era na comunidade e para todos poderem participar a comida é doada pelo projeto e algumas famílias se encarregam de fazer.

Ao entrar na casa sou recebido por um mulher de joelhos e fico parado sem saber o que fazer, então um senhor começa a me dar as dicas sento ao redor de uma mesa baixa na altura dos meus joelhos.

Então começam a tirar as tampas e entregar para os pessoas a tampa das panelas para servir de prato, apos vem um balde para lavar as mãos passando de pessoa por pessoa, então começam se servir, somente com as tampas que agora servem de pratos, come-se com a Mao, a comida é saborosa algo como ksima, miudos e algum molho. Apos a refeição ao sair da casa me deparo com umas 10 pessoas em fila estendendo a Mao, eram elas os moradores da casa, estavam em pé agradecendo e recebendo o agradecimento pela comida e por se der a casa algo de muito respeito.

4

Na volta pra casa enfrentamos muitos obstáculos principalmente na estrada, e depois com a chuva como estávamos na caçamba pode-se imaginar como cheguei em casa, a parte boa a superlotação da caçamba que te ajudar a receber menos água mas como a viagem demora em torno de 40 minutos este tempo é mais que suficiente da chuva fazer seu trabalho.

Quando cheguei em casa vou direto para o banho e cadê a minha adorável água fria? Pois bem por mais um dia estamos sem água e eletricidade, a sorte que sou prevenido e tenho reservatório (um grande balde de uns 50 litros) suficiente para 4 pessoas ate amanha, o dia escurece cedo aqui por volta das 06h30min da tarde e as noites se tornam totalmente negras com uma orquestra de sons indecifráveis vindo dos animais.

Hoje durmo ainda mais feliz pelas experiências incríveis que tive, e também pela reunião extremamente determinante para o nosso projeto.

Espero que todos estejam bem. Tenha um lindo e alegre dia. 16 de fevereiro de 2013